26 março 2007

No Reino da Dinamarca - Alexandre O´Neill

Numa tarde de estudo na Biblioteca D. Dinis, assisti inesperadamente a um evento intitulado Viver a Poesia, onde se pretendeu comemorar o Dia Mundial da Poesia juntamente com o Dia Internacional da Mulher. Vários poetas ligados ao concelho de Odivelas recitaram alguns dos seus poemas, a maioria, obviamente, dedicados ao sexo feminino, e no final, quem quis, pode provar que todo o português tem alma de poeta.
Ultimamente têm-me perguntado várias vezes porque concordo com a existência de um Dia Internacional da Mulher e eu lá puxo de armas e bagagem para argumentar a importância de dias de sensibilização como o 8 de Março. Deixo agora um desafio a todos os que me deram nas orelhas por eu orgulhosamente comemorar o dia da Mulher: Porque raio é que existe um Dia Mundial da Poesia? Porque descriminamos o verso face à prosa? De facto é a primeira vez que escrevo sobre poesia num post deste Blog... credo... é por causa de gente como eu que houve necessidade de se criar este dia! Bem, para me redimir, e porque por mim não há mal nenhum em existir o Dia Mundial da Poesia, apesar de ser chato ser no mesmo dia da árvore pois uma pessoa fica indecisa entre plantar um castanheiro ou chorar enquanto lê Florbela Espanca, deixo-vos a referência a um dos meus livros favoritos de poesia, com especial destaque para este velho poema, que à medida que o tempo passa, e é verdade que o tempo passa, gosto cada vez mais:


TOMA LÁ CINCO!

Encolhes os ombros, mas o tempo passa...
Ai, afinal, rapaz, o tempo passa!

Um dente que estava são e agora não,
Um cabelo que ainda ontem preto era,
Dentro do peito um outro, sempre mais velho coração,
E na cara uma ruga que não espera, que não espera...

No andar de cima, uma nova criança
Vai bater no teu crânio os pequeninos pés.
Mas deixa lá, rapaz, tem esperança:
Este ano talvez venhas a ser o que não és...

Talvez sejas de enredos fácil presa,
Eterno marido, amante de um só dia...
Com clorofila ficam os teus dentes que é uma beleza!
Mas não rias, rapaz, que o ano só agora principia...

Talvez lances de amor um foguetão sincero
Para algum coração a milhões de anos-dor
Ou desesperado te resolvas por um mero
Tiro na boca, mas de alcance maior...

Grande asneira, rapaz, grande asneira seria
Errar a vida e não errar a pontaria...

Talvez te deixes por uma vez de fitas,
De versos de mau hálito e mau sestro,
E acalmes nas feias o ardor pelas bonitas
(Como mulheres são mais fiéis, de resto...)

Alexandre O'Neill

5 comentários:

AnaRita disse...

Penso que o Dia da Mulher existe, porque ainda não temos a igualdade de direitos oportunidades, etc. etc.
Existe, porque existe a necessidade ao nível Mundial de destacar ainda muitas injustiças, descriminação e actos desumanos contra as Mulheres. Um bom exemplo disso é o tráfego de Mulheres que rendem milhões aos negociadores e que as fazem viver em pequenas jaulas, como se de animais se tratassem.
Não penso que tenha sido por razões românticas que se criou este dia ou pelo facto de apenas ser possível gerar vida num corpo feminino, mas sim pela dura realidade que ao nível mundial a Mulher não está no mesmo patamar que o homem.
O Dia da Mulher é o que é!

PJF disse...

A minha contribuição para a lembrança do O'Neill (tb um dos meus favoritos) no dia da Poesia:

ACORDEÃO

Não o amor não tem asas
se tem asas são as mãos
que se enlaçam para a festa
maravilhosa do corpo
e entre elas o coração

coração acordeão

Alexandre O'Neill, 1946

aprenDiz disse...

Oi T,
cá estou eu de novo com o meu mau feitio... continuo a achar que estes dias (da mulher, dos namorados, halloween, da criança, do pai, da mãe e muitos outros) são "puxados" pelos comerciantes e só têm alguma expressão nos dias q correm pq interessam a quem vende!!! pelo mesmo caminho vai o natal e a páscoa!!! alguém sabe que no dia 22 de Março se comemorou o dia mundial da água? e para qd um dia mundial daa pobreza? haverá assunto mais importante?!!!

Zaracotrim disse...

17 de Outubro - Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza
Há dias para tudo... acredita!

Taty disse...

Encolhes os ombros, mas o tempo passa...
Ai, afinal, rapaz, o tempo passa!